Fechar [X]
Digite seu email:
Digite seu CPF:
*Digite a nova senha:

*Que sera confirmada em seu email
 

Como Fazer Revisões de Forma Eficiente

 

Como fazer revisões para concursos de forma eficiente

Você, alguma vez, já passou por alguma das seguintes situações?
1. Acabou de ler o livro de Direito Constitucional e não se recordou, com propriedade, de tudo que estudou;
2. Estudou todos os itens do edital; porém na hora da prova “deu branco”;
3. Precisa sempre voltar e estudar tudo de novo para se lembrar dos detalhes de cada matéria;
4. Começou uma questão discursiva, porém esqueceu de aspectos básicos do tema.

Bem, se você disse “SIM” a pelo menos um dos quatro itens acima, seu método de estudo atual está com um serio problema; o que favorece a curva do esquecimento.

Mas nada de pânico, ao longo deste artigo vou te mostrar uma técnica super eficiente utilizada por concursandos de sucesso de como fazer revisões.

Primeiramente, o que é Curva do Esquecimento?

O grande estudioso Hermann Ebbinghaus foi a primeira pessoa a estudar, de forma empírica, a memória humana. O método que ele utilizava era o de decorar palavras desconexas e sem sentido, cada uma constituída por duas consoantes separadas por uma vogal – rax, paf, cas.

Durante seus estudos, ele chegou a algumas constatações interessantes:

1. A memória é gradativa: há uma relação linear entre o número de repetições realizadas no treinamento no primeiro dia e a quantidade de material retida (a prática leva à perfeição);

2. Observou que uma lista de 6 ou 7 itens pode ser decorada e conservada com uma única apresentação, ao passo que uma lista mais longa requeria repetidas apresentações;

3. Descobriu que decorar novamente uma lista velha requer menos tempo e um número menor de tentativas do que a memorização original;

4. A curva do esquecimento: o esquecimento tem pelo menos duas fases: (a) um rápido declínio inicial, mais abrupto nas primeiras horas, seguido de (b) um declínio bem mais gradual que continua por aproximadamente um mês.

Portanto, de acordo com Ebbinghaus, há um rápido declínio na qualidade do que foi memorizado logo após o primeiro contato com esse conteúdo, em nosso caso o estudo da matéria do concurso alvo.

Como Modificar a Curva do Esquecimento?

Simples: revisões periódicas!

Outros estudiosos descobriram que se revisarmos o que estudamos em períodos adequados, podemos alterar a curva do esquecimento.

São recomendadas, pelo menos, 5 revisões espaçadas para que o assunto estudado no começo do evento seja mantido o mais próximo de 100% ao final do ciclo de 30 dias.

Mas Isso Funciona?

Isso é bom demais para ser verdade, você deve estar pensando. No entanto é a pura realidade!

As primeiras pessoas que eu li falando sobre essa técnica aplicada a concursos, de forma comprovada (leia-se obtiveram resultado), foram o Alexandre Meirelles – em seu Livro Como Estudar para Concursos – e a grande Núbia Oliveira (aprovada em ótima colocação para AFRFB) em uma coluna no e-concurseiro.

Então, eu resolvi aplicar essa técnica, à época, em meus estudos e ver o que acontecia.

Antes, realizava revisões de forma solta, sem algum parâmetro ou prazo. Isso quando revisava…

A verdade era que eu repassava o edital várias vezes antes da prova, porém os períodos não eram corretos; o que favorecia o efeito da curva do esquecimento em meus estudos.

Depois que comecei a seguir esse método de revisões periódicas em meus estudos, obtive um salto significativo em QUALIDADE. Gostei tanto que aplico hoje para tudo que irei estudar e que vou precisar reter para a memoria de longo prazo – por exemplo em meus estudos acadêmicos.

Como Aplicar o Método em Minhas Revisões?

Já começo dizendo que no início vai parecer meio estranho e complicado, mas é assim mesmo. Até você se organizar a esta nova metodologia, algumas coisas terão que ser modificadas em seu planejamento e ciclo de estudos. Isso é normal, ok?

Outro ponto que alerto é que durante o período que você estará utilizando essa nova metodologia, poderá achar que está perdendo tempo; porém é justamente o contrário.

Ao revisar de forma cíclica e correta, você despenderá menos esforço para manter aquela gama de conteúdo em sua memória. Em verdade, depois de um tempo, você realizará apenas a manutenção do conteúdo aprendido – e não vai ficar estudando o mesmo conteúdo diversas vezes como eu fazia.

De acordo com Alberto Dell’Isola, colocando estrategicamente revisões depois de 2, 7 e 30 dias do primeiro estudo da disciplina; sua memória será capaz de manter o nível do conhecimento sempre elevado.

Vale ressaltar que revisão é diferente da primeira leitura do conteúdo. Ela – a revisão – da um papel mais sumário ao estudo.

Primeira Leitura do Conteúdo

Então, na primeira leitura do conteúdo, busque ler com bastante atenção. Se for possível identificar os principais conceitos de cada tema, marque-os!

Fez alguma reflexão que julgou interessante? Escreva ela em seu material, pode ser na aba do livro, da folha ou em uma ficha. Livro de concursando não deve ficar limpinho, sem anotações e marcações – ok?

Se seu material de estudo contar com questões sobre esse tema estudado, faça algumas apenas para ver como esse conhecimento é cobrado na prática e já identificar pontos que são mais importantes que outros.

Primeira Revisão do Conteúdo

No dia marcado em seu planejamento (um dia depois), leia as anotações e marcações feitas. A leitura será mais rápida, porque você teve contato com aquele conteúdo recentemente.

Nessa revisão, ficará mais fácil marcar novas partes do texto que você agora julga importante e fazer novas analogias sobre o conteúdo – lembre-se: quanto mais analogias seu cérebro realizar, mas ele vai entender que aquilo é importante e memorizará com maior facilidade.

Se tiver questões sobre a temática, faça mais algumas. Se gostar de fazer mapas mentais ou fichas, esse dia é essencial para isso. Você terá uma visão geral sobre o assunto e saberá exatamente o que colocar no esquema, para facilitar as demais revisões: de véspera de prova e de manutenção.

Nas demais revisões, busque apenas ler suas anotações, esquemas, fichas e marcações. Depois, termine os exercícios sobre o tema do capítulo – caso ainda tenha ficado algum.

Conclusão

Bem o principal motivo desse artigo é demonstrar a você a importância da realização – correta – de revisões.

Se em um planejamento de estudo a longo prazo a revisão for deixada de lado, você estará perdendo – e muito – em eficiência.

Portanto, se você não realiza revisões de forma periódica em seus estudos, tente incorporar de hoje em diante. Garanto a você que seu rendimento a longo prazo será muito superior e com muito menos esforço para manter esse conhecimento.

Fonte: SOS Concursando
UNIDADE BRASÍLIA
Endereço: SCRN 706/707 Bloco A entrada 42 /Brasília - DF
Telefone/Fax: (61)3274-2401
© Copyright 2012 - Todos os direitos reservados SOLUTEProduzido pela